Garota envolvida em crime ouvida na DAI

0

Uma adolescente de 17 anos, que alega ter servido de isca para os autores de um latrocínio, ocorrido há um mês, no Max Hotel, localizado na avenida Nilo Peçanha, Cidade Baixa, se apresentou na segunda-feira (6), na Delegacia para o Adolescente Infrator (DAI), em Brotas. O recepcionista do estabelecimento comercial, Edir Macedo dos Santos, foi morto a tiros pelo namorado da garota, de prenome Alexandre, e um primo dela, identificado como Paulo Ricardo, morto há 15 dias, durante outro assalto.

Interrogada pela delegada titular, Claudenice Mayo, informou ter sido convidada pelo namorado, que conhecera há apenas dois dias, a pernoitar no hotel, no dia 3 de abril. No trajeto, seu primo Paulo Ricardo teria pedido carona a Alexandre, simulando um encontro com a namorada, naquelas imediações.

Ali chegando, os dois homens anunciaram o assalto, rendendo o recepcionista. A adolescente disse que, ao ouvir disparos de arma de fogo, percebeu ter sido usada como isca pelos ladrões e, disfarçadamente, saiu do local, seguindo de ônibus para sua residência. As imagens do latrocínio foram registradas pelas câmeras de segurança do hotel.

No depoimento, a adolescente – liberada após o interrogatório – informou ainda que Paulo Ricardo morreu há 15 dias, numa troca de tiros, ao participar de outro assalto em companhia de Alexandre, que continua foragido. As investigações prosseguem, visando localizá-lo e prendê-lo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here