Homem confessa três homicídios no subúrbio

0

Com a prisão do traficante Danilo Barbosa da Invenção, o “Ferpudo”, 19 anos, a Polícia Civil elucidou três homicídios ocorridos no subúrbio ferroviário, nas localidades do Alto do Cabrito e do Dique do Cabrito. Capturado durante operação conjunta do Departamento de Narcóticos (Denarc) e da 3ª Delegacia de Homicídios (Baía de Todos os Santos), Ferpudo portava drogas e um revólvercalibre 38, tendo confessado os assassinatos de Clécio Santos de Oliveira, o “Dindo”, de Jeanderson dos Santos Fonseca e de um homem apelidado de “Guel”.

Interrogado pela delegada Simone Moutinho, titular da DH/BTS, Ferpudo disse ter matado Dindo, na rua Antônio Carvalhal, no Alto do Cabrito, por vingança, uma vez que a vítima teria assassinado “Sheilinha”, sua namorada, grávida de três meses, a cacetadas e a pedradas na cabeça. Coautor do homicídio de Sheilinha, um traficante de prenome Émerson já está recolhido no Presídio de Salvador, na Mata Escura.

Ferpudodelatou um homem chamado Lucas, como parceirono assassinato de Dindo, atingido na cabeça e no abdômen por seis tiros, disparados de dois revólveres calibre 38, um deles apreendido na operação conjunta.  Lucas é procurado pela equipe da 3ª DH/BTS, que também busca localizar Ademílson Oliveira da Silva, o “”Gago”, comparsa de Ferpudono homicídio de Guel.

Identificado pela quadrilha de Ferpudocomo outro participante da morte de Sheilinha, Guelfoi morto a cacetadas, na noite de 19 de dezembro de 2011, num local próximo a uma quadra de esportes, no Alto do Cabrito.Na época do crime, Ferpudo tinha 17 anos.

Ao confessar o assassinato de Guel, afirmou ter agido, mais umavez, em cumplicidade comLucas. Participante de uma quadrilha rival, Guel teria disparado vários tiros contra Ferpudo, que escapou ileso do atentado. Como vingança, surpreendeu o inimigo nas imediações da residência dele, no Dique do Cabrito, matando-o com dois tiros no peito e nas costas, com o mesmo revólver usado no assassinato de Dindo.

Autuado em flagrante por tráfico de drogas e porte ilegal de arma, segue custodiado no Complexo Policial da Baixa do Fiscal. A delegada Simone Moutinho salienta que as operações conjuntas da 3ª DH/BTS e do Denarc no subúrbio ferroviário prosseguem, visando a coibir a criminalidade e inibir a violência na região. “Não estamos de braços cruzados”, avisou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here