Não foi desta vez: votação pelo reajuste dos servidores é derrubada

0

aplb_alba_bocaonews_rv (2)A votação do requerimento de urgência-urgentíssima para a tramitação do projeto de lei que reajusta em 2,5% o salário dos servidores aconteceria na tarde desta quinta-feira (30). A sessão foi derrubada pelos deputados estaduais, após manifestações na Assembleia Legislativa da Bahia desde a manhã de hoje. Com a pressão, o governador Jaques Wagner receberá as lideranças nesta quinta-feira (2) para reavaliar a proposta. Funcionários públicos de vários órgãos do Estado reclamam da proposta do governo, considerada muito abaixo da inflação.

As lideranças que serão recebidas pelo governador querem ouvir explicações, os motivos e as possibilidades de melhorar a proposta e aumentar o percentual. Algumas categorias já foram contempladas, outras receberam reajuste menor.O deputado estadual Zé Raimundo (PT) defende o governo. “É sempre importante a valorização do trabalho, e os servidores no Brasil não tiveram apreço ao longo da história. Muitas categorias estão abaixo do salário devido, mas o governo Wagner fez um esforço muito grande, sobretudo nos planos de carreira, para garantir um reajuste real acima da inflação. Na verdade o que está faltando aí é um diálogo maior, um esclarecimento maior para ver o que podemos fazer”.

Já o deputado Bruno Reis (PRB) acusa o governo de querer dar um golpe nos servidores. “O governo fugiu ao debate, pois pretendia dar um golpe. Enviou o projeto ontem à noite na calada e aprovar a urgência-urgentíssima para já na semana que vem aprovar em plenário. Só com a pressão dos servidores é que o governo recuou”.
Reis ainda critica a falta de negociação com servidores e a contratação de pessoas por contrato administrativo e a criação de novos cargos comissionados. “O governo tem total condição de dar o aumento porque tem havido um superávit de arrecadação no governo a cada ano, e por outro lado gasta muito mal com prestadores de serviços temporário, com os Redas´s. Esse ano foi aprovado um projeto de lei que cria novos cargos comissionados para acomodar os aliados e apadrinhados políticos. E o servidor, concursado de carreira não é prioridade desse governo? A prioridade é distribuir cargos aos partidos aliados”.

O regime de urgência deve ser votado na próxima segunda-feira (6). Já o projeto, com a nova proposta, deve aguardar mais 15 dias.

Policiais – Os policiais militares já anunciaram que no próximo dia 9 de maio se reunirão em assembleia no Ginásio dos Bancários para debater o projeto. De acordo com o vereador Soldado Prisco (PSDB), líder da categoria, o reajuste é “inaceitável” e que trabalhadores de todo o estado devem participar do ato.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here