Polícia mata cinco suspeitos de envolvimento em morte de PM candidato a vereador

0

Cinco suspeitos foram mortos e dois foram presos por suspeita de envolvimento na morte de um policial militar candidato a vereador na cidade de Jequié, a 358 km de Salvador. O corpo do petista Jurandy Oliveira Santos, de 44 anos, foi encontrado nesta segunda-feira (27) no anel rodoviário do município um dia após ser sequestrado por um grupo de assaltantes que havia acabado de realizar um ação em um bar às margens da estrada do Rio Preto do Costa, na zona rural da cidade baiana. 

Publicidade

De acordo com informações do comando do 19º Batalhão da Polícia Militar, além do suspeito morto em confronto com a polícia ainda na segunda-feira, outros quatro homens foram mortos ao longo desta terça-feira (28) depois que um dos suspeitos foi entregue à polícia pela própria mãe.

Lucas Matos de Almeida, 21 anos, foi preso no loteamento Vila Vitória após a denúncia da mãe e indicou onde estariam outros nove homens envolvidos na morte do candidato a vereador. Mais de 40 policiais militares do 19ª BPM, além de um helicóptero do Grupamento Aéreo da PM, iniciaram as buscas pelos suspeitos e prenderam Michel Xavier Paixão, cuja idade não foi informada. Ambos não ofereceram resistência.

Na sequência, os policiais realizaram as buscas por outros quatro suspeitos em outros bairros da periferia de Jequié e entraram em confronto com outros quatro homens, que receberam a polícia com tiros. Damião de Jesus Santos, de 23 anos, Emerson Santos Silva, 22, Renato Nascimento Reis, 18, e um menor de 17 anos  foram mortos na troca de tiros. Nenhum policial foi ferido na ação.

O Serviço de Investigação do 19º BPM e a 9ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (9ª Corpin) já identificaram outros três suspeitos indicados por Lucas Matos, mas não divulgou os nomes para não atrapalhar as investigações. Eles continuam sendo procurados pela polícia.

Candidato PM foi morto a tiros
O petista Jurandy Oliveira Santos estava com familiares em um carro, retornado para casa após uma atividade política, quando foi surpreendido por um grupo armado, composto por 10 homens, que havia acabado de realizar um assalto em um bar às margens da estrada do Rio Preto do Costa, zona rural de Jequié.

Jurandy se indentificou como policial e foi espancado pelos assaltantes, que se dividiram em três carros e raptaram a vítima depois de ameaçar os familiares dele, incluindo o filho de 14 anos que o acompanhava.

O corpo da vítima, encontrado por uma mulher na manhã desta segunda, tinha marcas de violência no corpo, com sinais de golpes de facão e perfurações de bala na cabeça e nas costas. A polícia acredita que a vítima tenha sido morta pelo fato de ser policial militar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here