Preso homem acusado de estuprar a própria mãe, filha e duas adolescentes

0

Ilustração
Ilustração
Foi preso um homem acusado de realizar um estupro coletivo envolvendo mãe, filha e uma amiga no município de Iraquara, municipio localizado a 189 KM de Itaberaba, no Centro-norte Baiano. De acordo com a 13ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (13ª Coorpin/Seabra), Mauro Roberto dos Santos, de 25 anos, abordou uma mulher e sua filha adolescente enquanto ambas voltavam para casa no dia 22 de janeiro.

Publicidade

Ele levou as vítimas para a residência onde moram e, fazendo ameaças com um revólver 9 mm, estuprou as duas. Após a agressão, ele ainda viu a foto de uma adolescente, amiga da garota violentada, e obrigou-a a ligar para a menina e convidá-la para uma visita.



Segundo a delegada da 13ª Coorpin, Lorena Braga Amorim, a nova vítima chegou à casa com uma outra amiga e foi surpreendida pelo criminoso. Ela também foi estuprada e sua colega teve que ficar nua e foi espancada. Mauro não chegou a consumar o ato sexual com a última vítima, pois esta estava menstruada. O criminoso passou a noite violentando as vítimas e chegou a agredi-las com mordidas e socos no rosto, fugindo pela manhã.

No fim do ano passado, Mauro ainda teria assaltado um ônibus intermunicipal e, segundo a Polícia Civil, estuprado uma mulher na presença dos passageiros, novamente usando um revólver. Ele é acusado de cometer pelo menos três assaltos seguidos de estupro nos últimos três meses, nas cidades de Iraquara e Canarana, que fica a 523 km de Salvador. Ele é ainda é acusado de ser comparsa de um ladrão de bancos de prenome “Tomás”, que está foragido.

O criminoso é natural do município de Mulungu do Morro, a 460 km de Salvador, e retornou à Bahia há cerca de três meses, após passar alguns anos em São Paulo. Ele foi preso após se envolver em uma briga e disparar tiros contra um homem ainda não identificado.

Mauro foi autuado em flagrante por porte ilegal de arma na Delegacia de Seabra e vai responder por crimes de estupro, roubo, constrangimento ilegal e cárcere privado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here