Apoiadores de Bolsonaro começam a migrar grupos do WhatsApp para o Telegram

0

Após reportagem da Folha de S.Paulo mostrar um sistema de financiamento por empresários do disparo de mensagens contrárias ao PT em grupos de WhatsApp ter colocado o uso do aplicativo de mensagens em xeque, grupos de apoio ao candidato Jair Bolsonaro (PSL) começaram a formar e divulgar novas redes no Telegram.

A reportagem apurou que usuários apoiadores de Bolsonaro estão sendo estimulados a migrarem do WhatsApp para o Telegram.

A notícia continua após esta Publicidade

Na mensagem de boas vindas do grupo “Bolsonaro A Resistência“, um dos membros diz “acabou para eles. Tão tentando uma manobra e levar no tapetão. Se retirarem o WhatsApp vamos estar aqui com os super grupos e ganhar do mesmo jeito”.

Um outro integrante pede ajuda para divulgar um link do Telegram nos grupos de WhatsApp. Em vários momentos da conversa do grupo, membros se mostram preocupados com a impossibilidade de utilização do aplicativo para a troca de informações sobre o candidato e correm contra o tempo para adicionar pessoas rapidamente.

Nesta sexta (19), o WhatsApp enviou notificação extrajudicial para as agências Quickmobile, Yacows, Croc services e SMS Market determinando que parem de fazer envio de mensagens em massa e de utilizar números de celulares obtidos pela internet, que as empresas usavam para aumentar o alcance dos grupos na rede social.

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, pediu à Polícia Federal a abertura de inquérito para apurar se empresas têm disseminado, de forma estruturada, mensagens em redes sociais referentes a Fernando Haddad (PT) e Jair Bolsonaro (PSL).

Também nesta sexta (19), a conta de WhatsApp de Flávio Bolsonaro foi banida por um movimento de spam do número de telefone.

O filho de Jair Bolsonaro usou sua conta no Twitter para afirmar que foi vítima de censura.

Flávio Bolsonaro afirmou que o telefone que teve a conta de WhatsApp banida é pessoal e “nada tem a ver com uso por empresas”.

“O próprio WhatsApp informou que o bloqueio foi há dias, antes da Fake News da Foice de SP.
Agora já foi desbloqueado, mas ainda sem explicação clara sobre o porquê da censura”, escreveu nas redes sociais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here