Concursos em 2016: veja previsões e seleções esperadas

0

Fazer previsões na área de concursos públicos é tarefa que envolve muitos riscos. Mas não há como escapar de, no fim de cada ano, ao menos buscarmos “fundadas suspeitas” de quais concursos deverão sair, para que as pessoas possam começar a programar o ano seguinte. E, no fim das contas, temos tido algum sucesso nessa missão.

Então, vamos lá! Concurseiro de verdade não desacelera para festas de fim de ano: faz uma pequena pausa no dia das celebrações e retoma o estudo já no dia seguinte. Importante também continuar acompanhando as notícias diariamente, para não perder um bom edital.

CONCURSO-IMAGENS

Para que está se preparando, o ano começa com excelentes notícias e expectativa de muitas vagas. O que temos de mais certo e imediato é o edital do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), que deve sair nos próximos dias, ainda em dezembro.São 950 vagas, sendo 800 de nível médio e 150 para perito, para quem tem nível superior em serviço social.

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) também deverá publicar seu edital em breve, no máximo até o final de janeiro (6 meses após a portaria de autorização, publicada em 27/07/15).  Trata-se de mais um concurso com muitas vagas, e oportunidades para quem tem nível médio ou superior (460 para nível médio e 140, superior).

Ratificando a nossa orientação de estudo por áreas de concurso, veja o que há no horizonte para cada uma:

Administrativa
O candidato pode começar o estudo pelas disciplinas básicas: português, direito constitucional, direito administrativo, raciocínio lógico/matemática e informática, mesmo sem notícias de um bom edital em vista. Com essa estratégia, parte significativa do conteúdo de qualquer concurso da área já estará adiantada e haverá tempo para ser dedicado às matérias específicas quando sair o edital, sem descuidar da manutenção das outras. É uma excelente maneira de estar à frente da concorrência.

Correios: Este é um concurso necessário há alguns anos. Entretanto, por problemas diversos, sendo a mais recente a determinação de suspensão de concursos federais, o edital não saiu.

Agora, as notícias voltaram a esquentar – a situação está insustentável, entre outros motivos, em razão da carência de funcionários. A previsão inicial era de um elevado número de vagas – algo em torno de 2 mil – para os cargos de carteiro e operador de triagem e transbordo, ambos de nível médio. Mas, ainda que o edital saia somente para cadastro de reserva, o número de convocados deverá ser bastante significativo.

O concurso anterior cobrou poucas matérias (português, matemática e informática) e isso costuma atrair elevado número de candidatos. Para os cargos citados, houve também teste físico.

Fundação Nacional do Índio (Funai): Foram autorizadas 220 vagas de nível superior, sendo 202 para indigenista especializado (graduação de nível superior em qualquer área) e as demais para engenheiro, agrônomo e contador. O prazo máximo para o edital é abril.

O concurso anterior para indigenista, realizado em 2010, teve o Cetro como organizadora e cobrou as seguintes disciplinas: português, raciocínio lógico, informática e administração pública, além da legislação e conhecimentos específicos.

Agências reguladoras
Agência Nacional de Aviação Civil (Anac): O concurso já era esperado e teve edital publicado para 150 vagas de nível médio e superior, todas para Brasília. As inscrições vão até o dia 4 de janeiro e as provas estão previstas para 20 de março.

Tribunais
Há diversas regiões com expectativa de realização de concurso, uma vez que vários estão com prazo de validade vencendo. Mais uma vez, isso não é garantia, mas um indício importante de que o concurso pode acontecer.

Tribunal de Justiça
Mato Grosso: Saiu o edital para 168 vagas de nível médio e superior. As inscrições poderão ser feitas de 11 a 31 de janeiro e as provas estão previstas para o dia 13 de março. A banca examinadora é a Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT).

Tribunal Regional Federal
1ª região, em Brasília: comissão foi formada para a realização do concurso.

Tribunal Regional do Trabalho
8ª região, no Amazonas e Pará: a organizadora já foi definida: Cebraspe (antigo Cespe/UnB).

Tribunais Regionais Eleitorais
São Paulo: foi formada a comissão que deverá acompanhar o concurso.
Tocantins: a organizadora já foi definida: Cebraspe (antigo Cespe/UnB).

Bancos
Com preparação básica muito parecida, Banco do Brasil e Caixa devem realizar concursos no próximo ano. Trata-se de dois grandes bancos, com agências em todo o país e, portanto, grande necessidade de funcionários. Os cargos oferecidos são de nível médio, com raras exceções, e a jornada de trabalho semanal para a categoria é de 30 horas.

Banco do Brasil: deve realizar dois concursos em 2016; o concurso realizado em 2013 para as regiões de: Amazonas (parte do Estado), Espírito Santo, Minas Gerais (parte do Estado), Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Santa Catarina (parte do Estado) já expirou; o concurso que aconteceu no início de 2014, para Alagoas, Bahia, Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais (parte), Pará, São Paulo e Tocantins está no fim do prazo de validade.

Caixa Econômica: o concurso anterior (2014) está vencendo, o que indica que deverá ser mantida a tradição de realizar concurso a cada dois anos.

Segurança pública
Área sensível para todo o país, e que enfrenta falta de servidores já há algum tempo. O controle de fronteiras, de estradas e a necessidade de proteção à sociedade justificam exceção à suspensão dos concursos federais.

Polícia Federal: Este foi um edital afetado pela suspensão dos concursos federais. Apesar de, desde 2014, com a edição do decreto 8.326, a PF ter autonomia para decidir sobre seus concursos (sempre que for atingido o quantitativo de 5% de vagas), existe a necessidade de ratificação do MPOG quanto à disponibilidade orçamentária, que está comprometida no momento.

Polícia Rodoviária Federal: A situação atual é de colapso, com vários postos sem funcionários. Existe pedido de 1.500 vagas e é bastante possível que sejam autorizadas, ao menos em parte, por conta da real e urgente necessidade.

Fiscal
Área das mais cobiçadas por quem decide prestar concursos públicos, por oferecer excelentes salários sem exigência de formação específica (salvo raros casos). Por outro lado, é uma das que exige preparação mais complexa – 20 disciplinas aproximadamente. A atenuante é que 80% ou mais do conteúdo a ser estudado é comum a todos os concursos, e as oportunidades são muitas: além da Receita Federal, todo estado e quase todo município tem quadro de auditores fiscais, o que eleva muito o número de oportunidades.

Também é uma preparação que deixa o candidato em condições de participar de diversos outros editais, em razão do leque de disciplinas estudado. É o que acontece, por exemplo, com editais da área de gestão e controle, além de muitos outros.

Receita Federal: Há pedido de 5 mil vagas: 3 mil para analista e 2 mil para auditor. Mesmo tendo esbarrado no contingenciamento dos concursos, sabe-se que essa é uma área crítica e diretamente relacionada à arrecadação e à contenção aos crimes de sonegação. Em tempos de crise no orçamento, não seria demais desejar que ao menos parte dessas vagas fosse liberada. Mas, se isso não acontecer em 2016, os editais estaduais e municipais acontecerão, certamente, o que é motivo bastante para seguir estudando com afinco.

Há rumores sobre o ICMS-RO (já foi formada comissão para acompanhar o concurso), ICMS-CE e ISS-Cuiabá (o último concurso, para 40 vagas, só teve 3 aprovados). Sabemos que o município e o estado do Rio de Janeiro também estão precisando realizar concurso.

Muitos outros concursos vão acontecer em 2016, nas diversas regiões do país. A máquina pública não pode parar e a cada ano servidores se aposentam e precisam ser substituídos. Se você deseja uma vaga, comece a estudar o quanto antes para aproveitar as oportunidades que virão.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here