Correios transfere unidade de Feira de Santana para Salvador e grupo protesta

0

Os funcionários dos Correios que atuam no Centro de Tratamento de Cartas e Encomendas (CTCE), em Feira de Santana, cidade a 100km de Salvador, mantêm paralisação da categoria em protesto contra a transferência dos empregados da unidade para a Via Parafuso, em Salvador. Na quarta-feira (27), trabalhadores de outras unidades dos Correios fizeram uma mobilização, suspendendo os trabalhos por 24 horas.

“Voltamos às atividades com exceção de Feira de Santana, especificamente no Centro de Tratamento de Cartas e Encomendas. A motivação da paralisação é diferente da de quarta-feira, que era uma mobilização nacional. [A empresa] Não discutiu com a categoria, não foi planejado para nós. Eles disseram que iriam disponibilizar transporte, mas esse não é nosso maior problema. A situação é que tem gente que faz faculdade e não vai chegar a tempo para a aula depois do trabalho, tem gente que tem que cuidar da família e outros não moram em Feira, moram na região de Serrinha, que fica mais distante ainda”, reclama Alex Damasceno, diretor de Relações Públicas do Sincotelba, sindicato que representa a categoria.

correios

Através de nota, os Correios informaram que a transferência dos 69 empregados que atuam em Feira de Sanatana inicialmente seria feita no início de maio, mas em reunião realizada no em 22 de abril, a empresa negociou com os funcionários para que as transferências somente fossem efetivadas no dia 16 de maio. Ainda segundo os Correios, na reunião, os empregados puderam esclarecer suas dúvidas com o corpo gerencial da Regional que esteve presente na unidade. A empresa também destacou que os empregados estudantes, que hoje são quatro, terão sua situação analisada individualmente, conforme previsto nas normas da empresa.

A nota dos Correios informa que a transferência dos empregados se deve à “extinção do Centro de Tratamento de Cartas e Encomendas (CTCE) de Feira de Santana e, consequentemente, as atividades nele desempenhadas pelos Operadores de Triagem e Transbordo (OTTs) também”.

Ainda de acordo com a empresa, segundo as normas da instituição e cláusulas de edital, “as atividades dessa categoria somente podem ser desempenhadas no tratamento de carga, ou seja, em centros de tratamento, daí a necessidade da transferência dos empregados”.

Os Correios alegam que a extinção do centro de Feira de Santanta é feita para centralização das operações no CCE (Centro de Cartas e Encomendas) na Via Parafuso, em Salvador. “Foi uma decisão estratégica da Administração Central dos Correios, após estudos realizados em 2011, e faz parte do novo modelo operacional dos Correios no País, que prevê otimização das operações e melhor uso da malha de transporte de superfície nacional”, informa a empresa.

 

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here