Médica rasga receita após paciente dizer que votou em Haddad no primeiro turno

0

Uma médica que trabalha em um hospital público em Natal (RN) rasgou a receita de uma paciente idosos após ele dizer que votou no presidenciável Fernando Haddad (PT) no primeiro turno. O caso, que aconteceu nesta segunda-feira (08), foi confirmado pela própria médica, a infectologista Tereza Dantas, que diz estar arrependida do que fez. As informações são do G1 Rio Grande do Norte.

De acordo com a apuração do G1, a médica avisou que passou o final de semana se recuperando de uma gripe e pensou até em não ir ao hospital, mas resolveu ir e afirmou à instituição que só iria atender os pacientes que tinham agendamento. Entretanto, como ela já conhecia o servidor aposentado José Alves de Menezes, que já havia trabalhado na unidade de saúde, ela resolveu atendê-lo.

A notícia continua após esta Publicidade

“Eu estava conversando com outras pessoas sobre a situação política do país e fiquei exaltada, no momento. Eu realmente rasguei (a receita), porque ele não votou no meu candidato. Fiz errado, não tenho dúvidas”, disse a médica. Ela contou que tentou entrar em contato com o paciente para pedir desculpas, mas ele não atendeu aos telefonemas.

O idoso contou ao G1 que se sentiu constrangido com o ocorrido. “Me senti ofendido. Passei vergonha na frente de todo mundo. No início, achei que era brincadeira e até ri”, contou. O caso foi registrado em uma delegacia da capital.

José vai sempre ao hospital para pegar a receita do medicamento que toma todos os dias e disse que já conhecia a médica. “Ela sempre me tratou bem. Já chegamos a trabalhar juntos”, disse.

Ele contou que quando a médica o viu no local já sabia o que ela queria, pediu que ele aguardasse, voltou com a receita em mãos e perguntou em quem ele tinha votado para presidente.

“Eu disse que votei no Haddad, ai ela disse: ‘pois então não dou mais a receita’, e rasgou. Duas ou três pessoas também viram”, contou o aposentado. “Respondi na inocência. Nem sabia quem era o candidato dela. Nunca votei no PT, nunca fui fanático por partido nenhum. Essa foi a primeira vez que votei nele”, relatou.

A médica disse que se arrependeu do feito antes mesmo da repercussão do caso. “Eu pedi perdão a Deus e pedi que ele me ajudasse a tirar de mim essa mágoa. Eu nunca gostei de extremismos e estava me transformando em algo que não gosto. Não deveria ter feito isso, eu sei. Agi por impulso e, por isso, peço desculpas”, desabafou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here