Parlamentares lutam por mais universidades no interior

0

A implantação das universidades federais da Chapada Diamantina e do Nordeste da Bahia foi debatida amplamente, por mais de três horas, em audiência pública da Comissão de Educação da Assembleia Legislativa, presidida pelo deputado Eduardo Salles (PP), ontem pela manhã, no auditório jornalista Jorge Calmon. O concorrido evento contou com a participação do secretário estadual de Educação, Osvaldo Barreto, deputados federais e estaduais, reitores, professores de universidades, prefeitos, vereadores e secretários dos municípios que serão beneficiados, além de lideranças comunitárias, entre outros.

O objetivo da audiência é fazer uma mobilização suprapartidária para poder reativar esse debate em Brasília e sensibilizar o governo federal na criação de mais duas universidades federais na Bahia. Já existe em Brasília proposta dos deputados federais Afonso Florense (PT) para criação da Universidade da Chapada e de Félix Mendonça Filho para implantação da Universidade do Nordeste da Bahia.

link-zap
Loading...

1
Esta audiência foi sugerida pelo presidente do colegiado, Eduardo Salles, que luta pela criação da Universidade Federal da Chapada Diamantina e pelo também membro da comissão deputado Bira Corôa (PT) que sugeriu que a criação da Universidade Federal do Nordeste da Bahia fosse incluída na pauta da audiência pública, pois há algum tempo essa proposta faz parte da sua plataforma de trabalho na Assembleia.

Na proposta para criação da Universidade na Chapada a mesma terá campus e reitoria no município de Seabra e outros campi em Lençóis, Ipirá, Rio de Contas e Morro do Chapéu.

“O objetivo é que a instituição atenda a todo território da Chapada Diamantina, que tem 24 municípios e mais de 370 mil habitantes. Precisamos dar oportunidades aos jovens para que eles possam construir uma carreira perto de casa e que não precisam deixar o convívio de suas famílias e que no futuro sejam profissionais em sua própria região. A universidade também vai contribuir para o desenvolvimento social e econômico de toda região”, destacou o deputado Eduardo Salles lembrando que 166 municípios serão beneficiados diretamente nessas duas propostas da comissão.

Já o projeto da Universidade Federal do Nordeste da Bahia, defendido pelo deputado Bira Corôa, prevê que a instituição atenda a quatro territórios de identidade (Semiárido Nordeste II, Sisal, Bacia do Jacuípe e Agreste de Alagoinhas/ Litoral Norte), o que envolve cidades como Alagoinhas, Esplanada, Euclides da Cunha, Serrinha, Conceição do Coité, Riachão do Jacuípe, Ribeira do Pombal e Tucano. Os quatro territórios Têm população de dois milhões de habitantes e a ideia é que a universidade tenha pelo menos um campus em cada um deles. Bira Corôa fez uma exposição minuciosa de dados sobre a necessidade da implantação das universidades. “Mesmo com a Bahia tendo nos últimos 10 anos a criação de cinco novas universidades federais existe um déficit muito grande ainda na educação do interior do Estado. Esse movimento suprapartidário é muito forte e vamos na luta para que o governo federal possa dar à Bahia mais duas universidades, como aconteceu a partir de 2006, quando só tínhamos uma, durante décadas, e ganhamos cinco novas para superar um grande déficit e valorizar o ensino universitário da Bahia”, disse Bira Corôa.

Já estão programadas, inicialmente,12 audiências públicas nessas duas regiões, sendo cinco na Chapada Diamantina e sete no Nordeste da Bahia. A expectativa é de que forte participação das comunidades.

A Mesa que dirigiu os trabalhos da audiência pública de ontem pela manhã contou as presenças dos deputados estaduais Eduardo Salles, Bira Corôa, Luiz Augusto (PP) e Ivana Bastos(PSD), além dos deputados federais José Carlos Araújo e Afonso Florense, do secretário de educação do Estado, Osvaldo Barreto, reitores da UFRB, Sílvio Sóglia e da Uneb, José Bites.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here