Sertanejo defende torturador na TV e é detonado na web

0

O caso do ladrão que foi torturado por homens que tatuaram em sua testa a frase “eu sou ladrão e vacilão” continua repercutindo, até no mundo dos famosos.

Desta vez, ele foi assunto no “Encontro com Fátima Bernardes” nesta semana, quando o cantor Zé Neto, da dupla com Cristiano, deu a sua opinião – considerada polêmica.

“Ele disse que não cometeu. É um rapaz dependente químico, estava desaparecido, a família estava procurando por ele. Ele foi condenado sem nenhum julgamento. Quer dizer, é como se fossem justiceiros“, disse a apresentadora, que foi apoiada pela fala da juíza Andréa Pachá.

“Há uma demanda por justiça e o que a gente percebe é que, quem faz esse discurso que quer mais justiça, alimenta esse tipo de justiçamento (sic), é assustador”, argumentou a profissional. A discussão continuou e foi aí que entrou Zé Neto com a sua opinião contrária.

“Acho é que a população está tão cansada de certas impunidades que acabam… Lógico que não vem ao caso fazer uma barbaridade dessas, mas hoje em dia parece que a justiça dá mais moral para quem está fazendo o delito, para quem está cometendo um crime, do que para um próprio cidadão de bem”, disparou.

No entanto, Fátima discordou: “Eu entendo o que você está dizendo, mas o tatuador não é uma pessoa de bem, né? Uma pessoa que toma uma atitude dessas…”. O comentário dele foi suficiente para surgirem várias críticas nas redes sociais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here