Jovem morre após levar cotovelada do namorado

0

Câmeras de monitoramento flagraram o momento em que Jaqueline Aparecida Lopes Moraes, de 19 anos, foi agredida pelo companheiro, na sexta-feira (11), em frente a porta da casa onde morava, no distrito de Jundiapeba, em Mogi das Cruzes. De acordo com o laudo da perícia, a vítima, depois de levar uma cotovelada, teria batido a cabeça. Ela morreu em consequência de um traumatismo craniano.

Nas imagens a vítima e o suspeito, conhecido como Sael, aparecem juntos. A ação é muito rápida. Ela é agredida e logo cai no chão. Uma amiga da vítima e a mãe dela saem de casa para tentar socorrê-la, mas Jaqueline já chegou sem vida à Unidade Básica de Saúde (UBS) de Jundiapeba.

De acordo com a polícia, depois de agredir Jaqueline, o companheiro dela, conhecido como Sael, fugiu. O caso foi a 0h15, na Avenida Peru.

Em uma mensagem de áudio enviada à prima da vítima momentos depois do crime, o suspeito teria falado sobre a agressão. “Eu não rezo para nada”, trecho do primeiro áudio.

E em seguida completa. “Cê viu como é que eu tava, alteradão, acabei fazendo besteira. Dei logo um pancadão na Jaque, ela caiu lá desmaiada no chão e vim embora. Não adianta ser conivente com o errado”, completou.

A mãe da vítima diz que a briga teria começado porque a jovem não atendeu a ligação.”Ele falou que tinha ligado para ela e que o celular estava desligado. E se eu sabia onde ela estava, eu disse que não sabia. Ele ficou no portão de casa e andando no quarteirão dando volta. Ele pegou o carro e saiu da minha porta. Porque eu já tinha brigado com eles, eu não queria ele em casa por causa das brigas deles. Então, ele parou do outro lado da rua e ficou esperando ela,” lembra Rosangela Lopes dos Santos.

Idas e vindas

A mãe de Jaqueline conta que o casal havia reatado o namoro de dois anos há 15 dias. Ela afirma ainda que ele era agressivo com a jovem. A mãe temia que isso acontecesse e afirma que sempre orientou a filha para deixar o namorado. “Infelizmente o fim foi esse. Eu espero justiça, que prendam ele”, diz a mãe

Mais vítimas

Em menos de 24h, além de Jaqueline, mais uma mulher foi morta em Mogi das Cruzes e, segundo a polícia, o principal suspeito também é o companheiro. Evellyn Silvestre da Silva, de 31 anos, foi morta em casa, na madrugada deste sábado (12). Ainda de acordo com a polícia, o suspeito é Benedito de Siqueira Reis, que teria usado uma faca para cortar o pescoço da vítima, que foi degolada.

A polícia disse ainda que, antes de fugir, o suspeito cobriu o corpo da mulher com um lençol e trancou toda a casa. Ele teria ligado para o irmão dele e confessado o crime.

O casal morava no distrito de César de Sousa. Eles estavam juntos há quase um ano e, nas últimas semanas, decidiram se separar, de forma amigável, segundo Simone Silvestre, irmã da Evellyn. “Tinha as brigas, normal, mas ele nunca colocou a mão nela. Ela também nunca reclamou que ele agredia ou batia”, contou.

A família ainda tenta entender o crime. “Eu espero que a polícia prenda ele [o suspeito], que ele pague o que fez. Eu queria saber o motivo que ele fez isso com a minha irmã”, desabafa a irmã de Evellyn.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here