Caso Eliza Samúdio: Macarrão ficará isolado em cela para não sofrer represálias

0

Condenado a 15 anos de prisão pela morte de Eliza Samúdio, Luiz Henrique Romão, mais conhecido como Macarrão, de 27 anos, ocupará uma cela separada no Presídio Nelson Hungria, em Contagem, por tempo indeterminado. Segundo o jornal O Globo, o motivo é porque não está descartada a possibilidade de o condenado sofrer represálias por outros presos.

O braço direito do ex-goleiro Bruno Fernandes deve cumprir 12 anos em regime fechado. Ele foi condenado por homicídio triplamente qualificado (motivo torpe, asfixia e uso de recurso que dificultou defesa da vítima), sequestro e cárcere privado. Outros três anos serão cumpridos em regime aberto. Ele foi absolvido da acusação de ocultação de cadáver.

 
 

De acordo com a promotoria, Macarrão teria planejado todo o crime, iniciado com o sequestro de Eliza, em 4 junho de 2010, e o assassinato da vítima. Ela teria sido morta por Marcos Aparecido dos Santos, o “Bola”, na cidade de Vespasiano, na região metropolitana de Belo Horizonte. Fernanda Gomes de Castro, ex de Bruno, foi condenada por sequestro e cárcere privado, de Eliza Samudio e do filho da vítima. A pena foi de 5 anos em regime aberto.

Segundo nota oficial do Tribunal de Justiça, “ao ler a sentença, a juíza Marixa Fabiane Lopes Rodrigues esclareceu que, na estipulação de pena dos réus, a confissão espontânea de Macarrão foi uma circunstância atenuante, pois permitiu pela primeira vez o reconhecimento da morte de Eliza como um fato concreto. Entretanto, a conduta social de Luiz Henrique e os seus antecedentes não o favoreceram”.

Fernanda foi beneficiada por ser ré primária e não ter comportamento social reprovável. O Conselho de Sentença se reuniu por volta das 21h para deliberar sobre as acusações. O crime ocorreu 10 de junho de 2010. Segundo os autos, a vítima foi asfixiada e seu corpo não foi encontrado. Os processos dos réus Bruno Fernandes das Dores de Souza, Dayanne Rodrigues do Carmo Souza e Marcos Aparecido dos Santos foi desmembrado e o julgamento deve realizar-se em 4 de março de 2013.

Entenda o caso
Macarrão teria atraído Eliza para o Rio de Janeiro com a promessa de que faria o teste de DNA do filho da vítima e iria ajudá-la a convencer Bruno a reconhecer o menino como filho. Ainda foi entregue à Eliza uma quantia que seria referente da pensao do garoto. Segundo o site Uol, Luiz Henrique Macarrão contou com a ajuda de Jorge Rosa, primo de Bruno, menor a época, que deu coronhadas na cabeça de Samúdio dentro da Land Rover do goleiro.

Os dois teriam levado Eliza para a casa de Bruno no Recreio dos Bandeirantes, onde ela ficou em cárcere inicialmente. Nesse lugar, tiveram ajuda de Fernanda, ex amante de Bruno, que ficou com Bruninho até o sábado (5), dia em que a vítima foi levada para Minas Gerais. Eliza e o bebê foram para MG no veículo conduzido por Macarrão, na companhia de Jorge, enquanto Bruno foi com Fernanda em uma BMW.

Segundo o Ministério Público, todos se hospedaram em um motel no município de Contagem e um outro primo do goleiro, Sérgio Rosa Salles, também foi para o local. No dia 6, enquanto todos foram para um jogo de futebol, Eliza teria sido levada por Macarrão ao sítio do goleiro na cidade de Esmeraldas, onde ela foi mantida em cárcere até quinta-feira, 10 de junho, dia em que Luiz Henrique e os primos de Bruno para um local perto da Toca da Raposa, na região da Pampulha. Lá estava “Bola”, em uma moto, que os guiou até a casa onde morava. Eliza foi morta por asfixia.

Bola não matou a criança e Macarrão procurou Dayanne de Souza, ex-mulher de Bruno, para pensar no que fazer com o bebê. Ela ficou com a criança por alguns dias no sítio e a entregou para os vizinhos de Bruno em Ribeirão das Neves, onde o garoto foi encontrado dias depois. O júri de Bruno, Bola e Dayanne foi adiado para 4 de março de 2013. Wemerson Marques de Souza, amigo de Bruno, e Elenílson Vítor da Silva, o Coxinha, ex-caseiro do sítio do goleiro, também irão a júri, sem data definida.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here