Vasco vence Lanús nos pênaltis e avança

1

No sufoco e com muito sofrimento, o Vasco venceu o Lanús nos pênaltis por 5 a 4 e avançou para as quartas de final da Libertadores. No tempo normal, o time carioca perdeu por 2 a 1, mesmo placar do jogo de ida, e sofreu até a cobrança de Alecsandro para comemorar a classificação. Na próxima fase, o Cruz-maltino enfrenta o Corinthians, que eliminou o Emelec.

Nas cobranças, todos os jogadores vascaínos marcaram (Felipe, Juninho, Carlos Alberto, Renato Silva e Alecsandro). Romero perdeu a cobrança para o Lanús.

A notícia continua após esta Publicidade

GOLAÇO E CHORO

O Vasco entrou em campo com uma escalação titular diferente da que atuou na última quarta-feira. O técnico Cristovão Borges optou pela entrada de Nilton e a saída de Felipe. Porém, ao contrário do que se imaginava, o esquema com três volantes (Rômulo, Nilton e Juninho) não “trouxe” o Lanús para o campo do Vasco – como se diz no jargão do futebol.

O time brasileiro conseguia explorar bem a velocidade na saída de bola e fazia valer os passes de Juninho e Diego Souza. E justamente os, até então, comandantes do meio de campo vascaíno participaram do lance do gol. Após cruzamento de trivela do camisa 10, a zaga argentina cortou e a bola sobrou para Juninho, que rolou para a chegada de Nilton. O volante, que virou titular momentos antes do jogo, acertou um belo chute de fora da área e fez explodir a torcida cruz-maltina aos 18 minutos. Na comemoração, o jogador caiu em lágrimas.

A equipe da casa, que já estava em desvantagem após a derrota no primeiro jogo, pareceu ter sentido o golpe e passou a explorar os chutões para frente. Em uma dessas jogadas, Pavone recebeu nas costas da defesa e girou chutando, a bola passou pela área e assustou a zaga brasileira, mas não passou disso.

Nervoso, o Lanús errava muitos passes, enquanto o Vasco aproveitava os equívocos para sair nos contra-ataques, principalmente pelo lado direito, com Fagner e Eder Luis.

Já nos minutos finais da etapa inicial, após cruzamento da direita, Regueiro cabeceou sem marcação e quase deixou tudo igual no La Fortaleza.

EMPATE E VIRADA

Precisando fazer três gols para garantir a classificação para se classificar ainda no tempo normal, o Lanús voltou para o segundo tempo partindo para cima. Logo aos cinco minutos, o primeiro susto: Araujo chutou e Fernando Prass fez boa defesa, no rebote Gutiérrez chutou, mas a bola bateu em Regueiro e saiu da direção do gol.

Depois de muita pressão, o empate. Pavone recebeu sem marcação na área e bateu na saída de Prass. Após o gol e empurrado pela torcida, o time argentina aplicou uma verdadeira “blitz” para cima do Vasco e as chances desperdiçadas foram muitas.

Os momentos de perigo da equipe cruz-maltina eram poucos, mas por pouco os torcedores não viveram um momento parecido com ao da conquista de 98. Aos 31 minutos, uma falta perto da área e Juninho bateu com perigo, mas Marchesin fez a defesa. Porém, aos 33 minutos, uma ducha de água fria. Camoranesi chutou da intermediária, Prass deu rebote e Gutiérrez, sem marcação, bateu para virar o placar.

 

Precisando ao menos empatar a partida para garantir a classificação, Cristovão Borges colocou Carlos Alberto e Felipe. Porém, com o passar do tempo, o Vasco foi se desesperando e não conseguia mais chegar ao ataque. Fim de jogo e vitória do Lanús pr 2 a 1. Nos placares somados, 3 a 3 e a vaga nas quartas de final foi disputada nos pênaltis.

 

PÊNALTIS

A disputa de pênaltis começou com a equipe do Lanús (ARG) cobrando e Regueiro deixou o time da casa em vantagem. Felipe, o primeiro cobrador vascaíno, deixou tudo igual. Romero bateu forte e a bola explodiu no travessão, deixando o time cruz-maltino em vantagem. Juninho deixou os brasileiros com 2 a 1 a favor no placar.

Velázquez, terceiro cobrador do Lanús, balançou a rede e empatou. Carlos Alberto cobrou no cantinho direito de Marchesin e colocou o Vasco na frente. Camoranesi bateu bem e empatou novamente. Renato Silva cobrou bem e fez Vasco 4 a 3. Fritzler foi o último cobrador do time argentino e deixou tudo igual de novo.

Alecsandro foi o último obrador do Vasco. Pegou a bola, caminhou para a marca da cal, bateu e garantiu a vaga nas quartas de final da Libertadores. Agora, o vasco encara o Corinthians na próxima fase.

 

LANÚS (ARG) (4) 2 X 1 (5) VASCO

 

Local: La Fortaleza, Lanús (ARG)

Data-Hora: 09/05/2012 – 22h (de Brasília)

Árbitro: Carlos Amarilla (PAR)

Auxiliares: Dario Gaona (PAR) e Hugo Martinez (PAR)

Cartões amarelos: Pizarro, Pavone, Braghieri, Fritzler (LAN); Rodolfo, Fernando Prass, Thiago Feltri (VAS)

Cartões vermelhos: nenhum

Gols: Nilton 18″/1ºT (0-1); Pavone 15’/2ºT (1-1); Gutiérrez 32’/2ºT (2-1)

LANÚS (ARG): Marchesin, Araujo, Goltz, Braghieri, Velázquez; Fritzler, Pizarro (Gutiérrez – Intervalo), Valeri (Romero – 27’/2ºT), Camoranesi; Regueiro, Pavone. Gabriel Schurrer.

VASCO: Fernando Prass, Fagner, Renato Silva, Rodolfo e Thiago Feltri; Rômulo, Nilton (Felipe – 41’/2ºT), Juninho e Diego Souza (Allan – 23’/2T); Eder Luis (Carlos Alberto – 37’/2ºT) e ALecsandro. Técnico: Cristovão

1 COMENTÁRIO

  1. Não sei porque vocês dão tanta importância ao futebol sulista, ao invés de exaltar o nosso futebol. Não estou vendo nenhuma matéria a respeito da heróica classificação do vitória ontem em pleno engenhão. Me faça uma garrapa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here