Ativista relata ameaças de PMs de batalhão que mais mata no Rio

0

A truculência de policiais do 41º BPM (Irajá) vem sendo denunciada por moradores de Acari. Casas invadidas sem mandato, moradores fotografados, troca de tiros. Essas situações são constantes na realidade dos residentes da região. A bandeira contra ações violentas da polícia na favela da zona norte foi levantada por Marielle Franco. A parlamentar foi assassinada na última quarta-feira (14), apenas quatro dias depois de ter denunciado os casos.

Publicidade

No último sábado (10), moradores foram ameaçados por PMs, informou a moradora Buba Aguiar, integrante do coletivo Fala Akari. Segundo o UOL, ela contou que as ações da polícia têm levado terror aos moradores com frequência.

“Eles andavam pelas ruas gritando que só iriam embora depois que matassem três ou quatro”, desabafa a moradora de Acari.

As incursões dos policiais ganharam frequência em Acari após o decreto de intervenção federal na segurança do Rio, assinado pelo presidente Michel Temer (MDB), garante Buba.

Ela ainda conta que policiais adotaram o mesmo procedimento das Forças Armadas – de “fichar” moradores, os fotografando. Em tom de denúncia, Buba ainda diz que diversas ações ocorrem de forma extraoficial.

“O 41° Batalhão da Polícia Militar do Rio de Janeiro está aterrorizando e violentando moradores de Acari. Nessa semana dois jovens foram mortos e jogados no valão”, escreveu a vereadora nas redes sociais no fim de semana em que dois jovens foram mortos durante a presença da polícia na favela e os corpos foram abandonados no rio Acari.

Dados do ISP (Instituto de Segurança Pública) apontam que nos últimos cinco anos, o 41º BPM registrou cerca de 450 mortes. Isso significa que é o maior índice de letalidade do Estado do Rio de Janeiro durante o período.

O 41º Batalhão foi criado em 2011, e acabou ficando com o policiamento de parte da área do 9º BPM, ganhando responsabilidade pelos bairros de Irajá, Pavuna, Vicente de Carvalho e Costa Barros. Nos locais estão os complexos de favelas da Pedreira e Chapadão. A área é uma das mais violentas do Rio de Janeiro e com forte presença do tráfico e tiroteios diários.

Procurada, a Polícia Militar do Rio de Janeiro informou que o comando do 41º BPM abriu um inquérito policial para apurar as denúncias dos moradores.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here