Enterrado corpo de policial militar morto durante assalto em Salvador

0

Foi enterrado na tarde desta quarta-feira (20) o corpo do cabo da Polícia Militar Elias de Santos Souza, de 47 anos, morto durante um assalto em Salvador. O sepultamento foi realizado no cemitério Bosque da Paz, em Nova Brasília.

Parentes, amigos e colegas de farda foram até o cemitério para prestar as últimas homenagens. “Ele amava esse trabalho, tanto que dedicou a vida para ser policial”, afirmou o irmão da vítima, Daniel de Santana.

Elias trabalhava como policial havia 22 anos. “Emociona muito saber que os nossos policiais estão trabalhando e acontece uma situação dessas, mas a resposta será dada “, comentou o diretor de promoção social da PM, coronel José Jorge Nascimento.

enterro_pm_01

Suspeitos
O crime ocorreu na noite de terça-feira (19), no bairro da Federação. Um casal foi presosuspeito de ter envolvimento com a quadrilha de traficantes responsável pela morte do policial. Os dois estão entre os três detidos pela Polícia Militar, horas após o crime, na região do Alto de Ondina.

Na manhã desta quarta, Polícia Militar chegou a informar que os três teriam participação direta na morte. A informação foi corrigida durante entrevista coletiva realizada pelo Departamente de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) nesta tarde. A terceira pessoa detida pela PM foi liberada após constatação de que não tinha envolvimento com os criminosos. O casal é apontado como integrante da quadrilha e não há indícios de que eles tenham atuado no assassinado do PM.

Conforme a Polícia Civil, investigações apontam que outros três homens são suspeitos de terem participação direta na morte do policial. Dois já foram identificados, mas ainda não estão localizados.

Segundo a Polícia Civil, o casal Silas de Jesus Silva, de 28 anos, e Hilbete dos Santos Souza, de 39 anos, foram presos em casa, no Alto de Ondina. A polícia chegou ao local após denúncias anônimas terem apontado que o carro usado pelos criminosos que mataram o PM ter sido abandonado próximo à residência da dupla.

No imóvel, a Polícia Civil diz que foram localizados um revólver calibre 38, 79 pinos de cocaína, 68 porções de maconha, 14 pedras de crack, uma balaclava, dois rádios comunicadores, quatro balanças de prisão e embalagens para  adicionar drogas.

Conforme a Polícia Civil, a dupla chegou a ser presa no sábado (16) por porte de duas armas no bairro da Barra. Ambos foram encaminhados para o Núcleo de Prisão em Flagrante, na região da Rodoviária. Hilbert foi liberada pela Justiça ainda no sábado e Silas no domingo (17).

Durante um evento em Salvador, o secretário de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA), Maurício Barbosa, falou sobre o crime. “O casal que estava ali hoje [preso], tinha sido preso no sábado com armas de fogo e foram colocados em liberdade mediante pagamento de fiança. De fato, é mais uma situação que a gente coloca como exemplo da necessidade do amadurecimento das nossas leis para evitar que situações como essas, de um casal ter sido preso com drogas e armas, em menos de quatro e cinco dias depois terem cometido um novo crime, atentando contra a vida do nosso policial”, falou Barbosa.

Ambos os presos negam participação na morte. Entretanto, segundo a Polícia Civil, Silas Silva assume que é dono das drogas e equipamentos encontrados na residência. Hilbete diz que não tinha conhecimento sobre o armazenamento dos entorpecentes.

A apresentação dos suspeitos foi feita pelo delegado Odair Carneiro, titular da Delegacia de Homicídios Múltiplos (DHM), e pelo major PM Guerra, comandante da Rondesp/Atlântico.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here