Ex-catador de lixo bomba na web com posts sobre rotina humilde

0

vida humilde virou inspiração para posts nas redes sociais e, com uma pitada de bom humor para falar sobre as situações do cotidiano, um jovem de 22 anos que mora em uma pequena comunidade rural no município de Serrinha, a cerca de 180 quilômetros de Salvador, passou a bombar na internet. Ficou famoso e contabiliza atualmente mais de 2,6 milhões de seguidores, todos fãs de sua forma irreverente de lidar com o dia a dia.

Claudinei Lima, ou “Ney Lima”, como prefere ser chamado e como hoje é bastante conhecido, já foi catador de lixo, trabalhador doméstico, embalador de compras em supermercado e balconista de padaria, mas descobriu que sua grande vocação mesmo é ser um “humorista” das redes sociais.

Ao mesmo tempo em que fala de si e das pessoas à sua volta, ainda dá conselhos para os seus seguidores sobre como lidar com os “perrengues” da vida.

Inspirado em nomes já consagrados do ramo, como Tirulipa, Whindersson Nunes e Carlinhos Maia, Ney contabiliza 1,5 milhão de seguidores no Facebook, enquanto no Instagram é seguido por mais de 1,1 milhão de pessoas.

“Ser famoso sempre foi um sonho de infância. Sempre quis ficar conhecido por aí. Aí, decidi falar da minha rotina de forma cômica, e passei a tirar um tempinho para gravar os vídeos”

Qualquer situação pode render uma ideia para um novo vídeo, seja algum episódio que tenha ocorrido com ele, com os amigos ou mesmo algum comentário que tenham feito sobre ele no município onde mora ou na internet.

A casa onde vive, sem água encanada ou sistema de esgoto, o mato nos arredores da comunidade, as estradas de terra da região e até mesmo os galhos das árvores ou uma simples caixa d’água podem servir de cenário para as gravações, feitas com um aparelho celular.

“Primeiro, criei um perfil no Instagram para fazer os posts e, depois, criei a página no Facebook, que foi onde as publicações bombaram mais. Eu mostro o meu dia a dia, falo também das coisas que vejo nas ruas, coisas que eu vejo as pessoas passarem na rua”, afirma.

“Nas publicações, abordo as coisas de uma forma diferente, falo coisas sérias de uma forma que se tornam engraçadas”

A mãe, a dona de casa Maria de Lourdes, de 52 anos, conhecida como “Babu”, é quem o ajuda a fazer os vídeos. Ney conta que ela não gosta muito de se expor e fica impaciente com a produção de algumas gravações, mas em outros momentos, se solta e chega a até cair na dança com ele em alguns vídeos.

“Ela não tem paciência nenhuma. Na verdade, detesta fazer os vídeos porque é muito discreta e fica me esculhambando. Mas quando eu digo que a gente pode ganhar um dinheirinho com isso, ela anima. Minha mãe é engraçada por natureza, é bem transtornada. Eu não me acho engraçado o tempo todo, só algumas vezes”, garante.

View this post on Instagram

Mainha agora deu pra me tombar em tudo 😂

A post shared by NEY LIMA (@ney.lima) on

Ney diz que não costuma decorar textos para fazer os vídeos e que tudo é mais na base do improviso. Para um post ficar bom, no entanto, diz que chega a gravar até dez vezes.

“Eu decoro poucas vezes. Geralmente, penso na ideia, no tema, começo a gravar e vou falando. As vezes eu erro, regravo e aí, nesse meio tempo, vão surgindo mais ideias sobre o assunto. Aí, eu gravo de novo, até ficar bom. É por isso que minha mãe fica sem paciência”, destaca.

Alguns bordões criados por ele também já ganharam as graças do povo. “Eu falo muitos. Os mais clássicos são: “Morta”, “Sai de mim, abacaxi”, “Classe A das arrombadas”, “Nunca na galáxia”, “nada mudou” e “quebradinha de boaça”.

View this post on Instagram

Tarde difícil para as inimigas 😂😂

A post shared by NEY LIMA (@ney.lima) on

Dos vídeos que ja fez, elegeu dois que considera os mais divertidos. Em um deles, aparece em frente à casa onde mora ao lado da mãe fazendo um comercial fake de uma marca de produtos para cabelos — no Instagram, o post contabiliza 1.453.543 de visualizações.

No outro, que tem 960.343 visualizações no Instagram, surge dentro de uma caixa d’água, também com a mãe, mandando um recado para “pessoas que desejam o seu mal” — na ocasião, a mãe reclama de frio e pede que a gravação acabe logo. “Eu assisto todos os vídeos depois e me divirto com todos. Amo todos, a verdade é essa, mas esses foram o que mais gostei”, diz.

Até participação em show de Ivete Sangalo ele já fez. Foi no Festival de Inverno de Vitória da Conquista, no sudoeste da Bahia, agosto de 2017. Na ocasião, foi convidado pela cantora para dançar no palco e ainda ganhou elogio da artista. “Seguem ele lá, gente, que ele é maravilhoso. Eu fui lá conferir”, disse Ivete.

Vida simples

Ney mora sozinho com a mãe na comunidade rural de Fazenda Sucupira. É o único filho de dona Maria de Lourdes, mas tem outros 11 irmãos por parte de pai. “Meu pai se separou dela quando eu tinha 12 anos e, hoje, ele mora na rua. Não tenho muito contato com ele”, conta.

O jovem revela que já enfrentou várias dificuldades com a mãe e que até já passaram fome. Também já diz ter sido alvo de preconceito, por ser homossexual.

“Já vivemos momentos difíceis. Às vezes, faltava comida na mesa e a gente tinha que se virar. A casa, quando chovia, molhava tudo. Aí, nós tinhamos de acordar de madrugada, por causa das goteiras. Além disso, depois dos vídeos, sofri muito preconceito, mas não ligo muito para isso”, afirma.

Antes de trabalhar como “doméstico”, Ney diz que trabalhou, de 2011 a 2013, catando objetos em um lixão de Serrinha. Depois, arrumou um emprego em um supermercado da cidade, na função de embalador de compras. Permaneceu no cargo por dois anos, até 2015.

Depois, foi tentar ganhar a vida em Curitiba, onde surgiu a oportunidade para trabalhar como balconista numa padaria. Morou na cidade paranaense por seis meses e retornou para casa. Foi quando descobriu que poderia ganhar dinheiro como doméstico.

Faturava R$ 400 mensais, que eram somados ao montante que a mãe conseguia juntar fazendo “bicos”. “Ela, quando surgia alguma coisa para fazer, às vezes ganhava uns R$ 200 e, assim, a gente ia vivendo. A renda nunca passou disso”, conta.

Foi enquanto trabalhava como doméstico que Ney teve a ideia de fazer os posts. “Enquanto eu limpaza salas e tinha um tempinho livre, eu fazia vídeos dançando e postava. Foi assim que começou. Mas só era dança mesmo. Somente depois foi que surgiu a ideia de fazer as postagens comentando as coisas do meu dia a dia, de forma engraçada”, lembra.

O primeiro vídeo que viralizou foi postado por ele em maio de 2017, chegando a 10 millhões de visualizações no Facebook. Como diz, “ali nascia uma estrela”.

“Eu estava na beira da estrada e decidi fazer o vídeo mandando um recado para aquelas pessoas que não gostam de mim e que têm raiva de mim. Eu sugeri que elas morressem que a raiva iria passar, que bebessem um litro de gasolina”, brinca. “É muito duro ser gostosa”, destacou, em referência aos “invejosos”. A partir de então, Ney manteve o ritmo e viu os posts bombarem cada vez mais.

Futuro

Com a fama, Ney diz que começou a ser convidado para participar de eventos pelo país e a ganhar dinheiro para começar a mudar de vida. “Participo de festas, de gravações de DVDs, de inauguração de lojas e outras coisas”.

Conta que até ganhou uma casa nova, que está sendo construída num terreno vizinho ao imóvel onde mora atualmente com a mãe.

“Dois empresários aqui da cidade se juntaram para construir uma casa nova para mim e para minha mãe. Inicialmente, pensaram em reformar a nossa, mas viram que não tinha jeito e decidiram fazer essa nova para a gente. Está quase pronta, só falta pintar, forrar e botar as grades. Em troca, eu ajudei a divulgar uma festa dele aqui”, conta.

O jovem espera, em breve, iniciar também apresentações de stand up comedy. “Já estou começando a montar os meus roteiros. Também se tiver oportunidade, farei artes cênicas, já que também penso em televisão, um dia. Quem sabe, não é? A carreira ainda não alavancou e nem a conta bancária, mas vamos seguir firmes”, diz o rapaz, que concluiu o ensino médio em 2015.

Aos jovens que enfrentam as mesmas dificuldades pelas quais passou, Ney diz que o segredo é sempre persistir na busca por melhorias.

“O segredo é não desistir, acreditar em Deus, lutar e levar a vida de forma leve, com bom humor. As coisas não caem do céu, então é preciso correr atrás. Vim de baixo e estou tentando crescer. As invejosas que se cuidem”.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here