Mulher no IML de Catalão-GO não é de Itaberaba como dizem nas redes sociais

0

Foi postado na manhã desta terça-feira nas redes sociais que uma mulher vítima de violência domestica no estado de Goias, que morreu dias após ser atacada com solda caustica, poderia ser da cidade de Itaberaba. 

Em pesquisas em diversas fontes, o verdadeiro site Itaberaba Notícias encontrou informações de que a vítima é da cidade de Barreiras no Oeste baiano. 

De acordo com os sites Canal Gama e Fala Barreiras, dois dos parentes da vitimas chegaram a ser localizados.

noelma-01

O corpo da auxiliar de serviços gerais Noelma de Jesus Rocha, de 39 anos, que morreu após ser atacada com soda cáustica pelo amante, segue no Instituto Médico Legal (IML), a espera de liberação de parentes, em Goiânia. Ela morava em Catalão, no sudeste de Goiás, quando foi agredida. O suspeito do crime, um lavrador de 55 anos que era amante da vítima, está preso.

A mulher morreu no sábado (11). Ela estava internada no Hospital de Urgências Governador Otávio Lage de Siqueira (Hugol) com queimadura de 1º e 2º graus. De acordo com o IML, ainda é necessário que familiares da vítima procurem o instituto para fazer a liberação do corpo. Caso nenhum parente apareça, será feito um comunicado à Secretaria Municipal de Assistência Social para que ela seja enterrada em um cemitério municipal.

O crime aconteceu no último dia 24 de maio.  A vítima foi atingida com soda cáustica no rosto, pescoço e braços. De acordo com o Corpo de Bombeiros, ao chegar à casa da vítima, ela estava nua e amarrada em cima da cama. Segundo a polícia, o laudo do hospital apontou ainda que a mulher teve a boca e as partes íntimas coladas por cola instantânea.

Ela recebeu o primeiro atendimento em Catalão e no dia seguinte foi transferida para o Hugol. Na ocasião, o diretor geral da unidade de saúde, Hélio Ponciano, disse ao G1 que ela teve 70% da área corporal atingida.

O delegado responsável pelo caso, Vagner Sanches, explicou que Noelma é natural da Bahia e não tinha nenhum familiar em Catalão. “Amigas delas fizeram campanha na internet, tentaram achar familiares, mas ninguém apareceu até o momento”, disse.

Prisão e indiciamento
O suspeito do crime foi detido no dia 25 de maio, na GO-330.  Segundo o delegado, ele confessou o crime aos policiais militares, mas disse que o fez porque a amante teria ameaçado sua esposa. No entanto, conforme a investigação, esta informação não procede. Uma amiga da mulher afirmou que o ato foi cometido porque o suspeito teria sido rejeitado.

O inquérito já foi concluído. Nele, o lavrador foi indiciado por tentativa de homicídio qualificado. Entretanto, o delegado explicou que, com a morte da vítima, haverá uma alteração, para que ele responda por homicídio.

Ao todo, 13 testemunhas foram ouvidas. De acordo com a investigação, o lavrador praticou o crime de forma deliberada para ferir a auxiliar de serviços gerais. A partir dos depoimentos, concluiu-se que quando o casal mantinha relações sexuais, ele agredia e torturava a amante.

 

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here