Programa Água Doce garante acesso à água para mais de 100 mil baianos

0

Com a assinatura do secretário estadual do Meio Ambiente (Sema), Geraldo Reis, ao IV Pacto Nacional do Programa Água Doce (PAD), o governo do estado sela o compromisso de continuidade à implementação do Programa no estado, democratizando o acesso à água e a participação social na sua gestão. O evento foi realizado nesta quarta-feira (28), durante o Encontro Nacional do PAD 2018, em Salvador.

O Água Doce tem como finalidade garantir o acesso à água de qualidade para o consumo humano, a partir da utilização de sistemas de dessalinização de água salobra. Na ocasião, foi feita a entrega simbólica de 145 sistemas de dessalinização implantados em 24 municípios baianos. A estimativa é de que 100 mil baianos sejam beneficiados diretamente pelo programa.

De acordo com o coordenador nacional do PAD, Renato Saraiva Ferreira, a assinatura do pacto de execução do programa é mais uma forma de reafirmar as parcerias entre as secretarias estaduais e os órgãos da gestão municipal. “É uma afirmação das parcerias, da continuidade e de que os sistemas venham sendo implantados com cuidados técnicos, sociais e ambientais. É um programa que envolve as comunidades em uma gestão compartilhada com os municípios, os estados e a União”.

PAD na Bahia

A notícia continua após esta Publicidade

Segundo o gestor da Sema, o programa Água Doce combina mobilização social, tecnologia apropriada, e tem um caráter muito humanista. Na primeira etapa foram implantados 145 sistemas, em 24 municípios do semiárido. Em sua 2ª Etapa a meta é a implantação, recuperação e gestão de mais 150 sistemas, beneficiando 48 municípios. “Agora, na sua terceira etapa, estamos planejando a entrega de mais 90 equipamentos, totalizando um investimento de aproximadamente R$ 71 milhões”, explicou Reis.

Para Salvador de Almeida, no seu município foram instalados 10 equipamentos que ajudaram a mudar a realidade da população. “Hoje mais de 200 famílias da comunidade utilizam a água dos dessalinizadores. Antes a nossa água era muito salgada, escura e não tinha boas condições para o nosso consumo. Era uma água de barreiro, de açude ou carro pipa. A água tratada era um sonho pra gente”, revela.

O programa Água Doce, criado pelo Ministério do Meio Ambiente, no âmbito regional conta com o apoio da Secretaria do Meio Ambiente, da Companhia de Engenharia Hídrica e Saneamento da Bahia (Cerb) e a Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR) para execução da iniciativa no estado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here