Vendas devem cair ao menos 5% no Dia das Mães em Salvador, prevê CDL

0

As vendas durante o período do Dia das Mães devem ter queda de pelo menos 5% com relação ao ano passado, segundo previsão da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Salvador. Segundo o órgão, “o desempenho do varejo reflete o momento de crise do país”.

Apesar da expectativa da instituição de aumento de 30% nas vendas em maio em relação a abril deste ano, contratações temporárias estão descartadas para o Dia das Mães, considerada a segunda data mais importante para o comércio local – atrás apenas do Natal.

“Não há possibilidade de contratações na conjuntura atual. O comércio está se mobilizando para manter as portas abertas porque o país está num momento muito preocupante. Tanto que acabamos de unir forças com outras grandes instituições representativas para criar um movimento de reação”, avalia o presidente da CDL Salvador, Frutos Dias Neto.

Conforme a CDL, os segmentos que costumam registrar maior movimento no período são os de vestuário, joias, bijuterias e acessórios, perfumaria, cosméticos, eletroeletrônicos, móveis, eletrodomésticos e telefonia celular.

Para o presidente do Sindicato dos Lojistas do Comércio do Estado da Bahia (Sindilojas), Paulo Mota, no entanto, a previsao da CDL é tímida, já que, segundo ele, a queda nas vendas deve ser ainda maior.

“Nós estamos prevendo 15% de queda com relação a maio do ano passado. Com base na nossa avaliação, vai ser uma semana de vendas extremamemte tímidas, por conta da crise econômica e da insegurança dos consumidores, que estão cautelosos”, destaca.

Conforme  Mota, o período não deve ser mesmo propício para contratações temporárias, já que a preocupação maior de muitos lojistas é manter os funcionários já contratados. “Estamos num período de muito desemprego. Infelizmente, estamos desempregando e não há nenhuma projeção de contratar num cenário deses”.

Vendas em baixa
No início do mês, a Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas (FCDL) já havia anunciado que as vendas no período ficariam em baixa.

Para os empresários, o Dia das Mães é a segunda melhor data para o comércio e, por isso, em anos anteriores eles costumavam fazer contratos provisórios, mas este ano eles dizem que não poderão ampliar o mercado de trabalho.

Em 2014, segundo a FCDL, a média era de 3 mil trabalhadores temporários contratados pelo setor neste período, em toda Bahia. Já em 2015, este número caiu para menos de 2 mil.

De acordo com uma pesquisa do comércio varejista, as vendas na Bahia caíram 10% em 2015, em relação a 2014. Cerca de cinco mil pontos comerciais fecharam as portas, segundo informações da junta comercial. Já a Confederação Nacional do Comércio disse que o setor demitiu 30 mil trabalhadores, 60% deles aqui na capital, no ano passado.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here