Projetos de professores de língua portuguesa se destacam entre os melhores do País

1

Cinco projetos de escrita, desenvolvidos em sala de aula por professores da rede estadual de ensino, se destacaram entre os 24 melhores do País no Seminário Internacional Escrevendo o Futuro, promovido pela Olimpíada de Língua Portuguesa, em São Paulo.

Os estudantes elaboraram textos referentes a comunidades tradicionais e distribuíram material informativo sobre prevenção da dengue. De forma lúdica, eles foram estimulados pelos professores a gostar mais de leitura, de escrever e estudar a língua portuguesa.

‘Quem conta um conto aumenta um ponto: das histórias do passado às histórias do presente’ foi um dos selecionados no evento. Elaborado pelos alunos do Colégio Estadual José Amâncio Filho, em Curaçá, no Vale do São Francisco, o projeto alia a cultura local à prática de letramento por meio de escutas de ‘causos’ populares, leituras e produções do gênero textual.


Por meio do projeto ‘Combate à dengue’, a professora de língua portuguesa, Sandra Margarete Cajaíba, trabalhou com os alunos do Centro Educacional de Tremedal, no centro sul baiano, a discussão sobre a doença através da produção de materiais informativos distribuídos à população.

Autobiografia e memória

Já os alunos do Colégio Estadual Liberdade, localizado em Itaberaba, participaram do projeto ‘Remexendo no baú de memórias: ler e escrever para (se) conhecer’ e escreveram autobiografias para estimular a escrita.

Através de dados colhidos com familiares e do resgate de memórias, “os estudantes conseguiram praticar a escrita e a oratória ao trabalharem a subjetividade na construção de suas histórias de vida, no gênero foco que é autobiografia”, explicou a professora de língua portuguesa, Vilma Cristina Silva dos Santos.

Colégio Liberdade em Itaberaba.
Colégio Estadual Liberdade em Itaberaba.

Para resgatar e registrar a história de Maracás (região centro sul), os alunos do Colégio Estadual Edilson Freire trabalharam o gênero memória no projeto ‘Nas tramas da memória, tecendo saberes e vivência da nossa história’.

Como fontes de conhecimento para a produção textual, foram realizadas entrevistas e roda de conversas com moradores da cidade. Segundo as professoras Edna Fontes e Neila Portela, além da disciplina de língua portuguesa, a atividade multidisciplinar envolveu a participação de professores das disciplinas de história e geografia.

Vivências de pescadores

Neste mesmo contexto de valorização da cultura e história, vivências de pescadores foram destacadas por alunos do Centro Educacional do Saber, localizado no Povoado de Bela Vista, em Cansanção, na região nordeste do estado.

O projeto ‘Multiletramento e a vida dos pescadores: as diferentes formas de linguagem’ foi desenvolvido pela professora de língua portuguesa, Alenaide Lima de Almeida. “A atividade ampliou as habilidades de leitura e escrita dos alunos que produziram textos do gênero informativo e discutiram questões sociais e ambientais”, explicou a educadora.

Ações de formação

A olimpíada desenvolve ações de formação de professores com o objetivo de contribuir para a melhoria do ensino da leitura e escrita nas escolas públicas brasileiras.

1 COMENTÁRIO

  1. Há cinco anos atrás eu estudei no colégio estadual liberdade e a aprendizagem é ótima os professores maravilhoso.eu não tenho oque fala pq o ensino dessa escola é nota 10.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here