Termo de cessão ao Programa Neojiba é assinado

0

Foi assinado na manhã de hoje (29) o termo que prevê a cessão de uso gratuito do Parque do Queimado, na Liberdade, por 20 anos, para a instalação e construção da sede do Programa Núcleos Estaduais de Orquestras Juvenis e Infantis da Bahia (Neojiba). O espaço foi cedido pela Embasa para a Secretaria de Desenvolvimento Social e Combate à Pobreza do Estado (Sedes) e a solenidade teve a apresentação de grupos de câmara do Neojiba e alunos do Projeto de Música da Organização Anjo Amigo.

Além do governador Jaques Wagner, também participaram do evento o governador diplomado, Rui Costa, o secretário estadual de Desenvolvimento Social e Combate à Pobreza, Cezar Lisboa, o presidente da Embasa, Abelardo Oliveira, e o diretor fundador do Neojiba, maestro Ricardo Castro.

A notícia continua após esta Publicidade

“Aqui foi construído o primeiro sistema de água do Brasil e água é vida, essencial para o ser humano. Mas também são essenciais a arte e a inclusão, pois elas permitem que a juventude possa sonhar e trilhar caminhos vitoriosos. Então, eu acho que para a Embasa é um motivo de orgulho, pois aqui já funciona o Centro Cultural, é uma casa tombada e que conta uma história de 1850 e que, agora, nos permite projetar o futuro”, disse o governador Jaques Wagner.

Atualmente, funciona no Parque do Queimado o Museu Arqueológico e o Centro Cultural da Embasa. No local, a área total disponível é de 10.963 m² e área útil é de 1.644,51 m². Junto às atividades do Neojiba, estão garantidas a continuidade e a ampliação das ações culturais da Embasa.

“Temos todas as questões voltadas para a área social dentro do nosso planejamento estratégico e missão. Nosso Centro Cultural visa resgatar e incentivar os talentos da Embasa, como os membros do Coral Água Viva e do grupo Embasart, além de ajudar na preservação do local. Nada melhor do que compartilhar esse espaço com o Neojiba”, informou Abelardo de Oliveira Filho, presidente da Embasa.

“A despeito de tantas conquistas e do reconhecimento nacional e internacional, o fato de não ter uma sede própria sempre foi um grande fator limitador da capacidade de expansão do programa. Além de abrigar as três orquestras e o coro juvenil que hoje funcionam no Teatro Castro Alves e em outros espaços da cidade, nossa futura sede será um espaço de referência e de multiplicação do conhecimento”, conclui Beth Ponte, Diretora Institucional do Neojiba.

Para o primeiro regente formado pelo Neojiba, Yure Azevedo, a nova sede reforça uma das grandes chaves de sucesso do programa, que é o envolvimento com a sociedade. “É o primeiro passo com pé direito e que realmente nós deixa muito feliz. Até hoje éramos inquilinos no Teatro Castro Alves, mas agora nós teremos a nossa casa e poderemos abrigar uma família e toda a sociedade nessa casa. Com a construção do teatro, por exemplo, vamos convidar o público para assistir e participar das nossas atividades. Vai ser um espaço cultural humano, acima de tudo, um espaço do humanismo na Bahia”, finalizou.

O parque passará por reformas para construção da sede e a previsão é que o espaço esteja apto a ser utilizado em 2016.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here