Netinho: Diagnóstico

0

Segundo os médicos, Netinho deu entrada no hospital pela primeira vez após sentir dores durante atividade física. “Há quinze dias mais ou menos, ele apresentou uma dor relacionada à atividade física e foi atendido aqui. Durante a investigação dessa dor muscular, que mostrou ser um edema, foi realizado um exame de imagem que chamou a atenção pelo aspecto inusitado do fígado. Começamos a fazer uma avaliação e depois de alguns exames decidimos fazer um exame que se chama ‘biópsia hepática'”, relatou Jackson Noya na coletiva do dia 30 de abril.
Após a realização da biópsia, Netinho foi liberado, mas precisou voltar ao hospital no dia seguinte porque sentiu fortes dores no abdômen. De acordo com Noya, uma complicação após a realização da biópsia hepática provocou um grande sangramento. “Nesse procedimento houve um acidente, um sangramento acima do esperado. Ele foi prontamente atendido, levado para radioterapia e foi detectado que ele teve uma lesão em um vaso arterial”, disse.
O cirurgião Jorge Bastos explicou que foi necessário colocar um cateter através da artéria femoral para que o sangramento fosse contido. “O que foi feito foi um tipo de cirurgia chamada ‘minimamente evasiva’. Foi colocada uma substância altamente aderente composta de umas pequenas esferas de plástico e, através do cateter, se entope a artéria e para o sangramento. Houve um sucesso no controle desse sangramento e não houve necessidade de cirurgia convencional, na qual é retirada essa parte que foi afetada”.
Segundo o clínico Jackson Noya, a complicação da biópsia hepática foi o maior problema de Netinho. “Em relação às imagens que nos preocuparam [antes da biópsia hepática], elas acabaram sendo muito mais benignas do que a gente imaginava. Deve evoluir muito bem e regredir com alguns meses”, afirmou o médico.
“Essas imagens correspondem a pequenas dilatações vasculares e que não têm nenhum potencial de malignidade. Ele vai ficar bem, vai cantar, dançar, não vai ter nenhuma sequela”, informou o hepatologista Raymundo Paraná, que também acompanha o tratamento do cantor no hospital.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here