Brasil terá lei que regulamenta empresas juniores

0

O projeto de lei que regulamenta o funcionamento das empresas juniores, entidades onde os universitários põem em prática as técnicas estudadas em sala de aula com clientes reais, foi sancionado nesta quarta-feira (6) pela presidente Dilma Rousseff. Com a regulamentação, toda a empresa júnior deve ser formada exclusivamente por universitários regularmente matriculados em instituições de ensino superior e não ter qualquer tipo de ligação partidária. Também é exigido que os membros exerçam trabalho voluntário, sem remuneração. Pioneira no mundo, a lei garante que as empresas juniores não percam o caráter de associações civis sem fins lucrativos e que realizem projetos que contribuam para o desenvolvimento acadêmico e profissional dos membros. Ao Globo, a Confederação Brasileira de Empresas Juniores (Brasil Júnior) afirmou o país conta com mais de 1,2 mil empresas juniores espalhadas pelo país — 300 são filiadas à entidade. Cerca de 11 mil universitários estão envolvidos diretamente nos projetos das entidades somente nas organizações já regulamentadas pela Brasil Júnior. Todo o lucro obtido através dos serviços prestados devem ser aplicados na manutenção da própria empresa júnior. Entre projetos e consultorias realizados, as empresas juniores movimentaram cerca de R$ 10 milhões em 2015, número que tende a crescer neste ano. Rio Verde acredita que as empresas juniores podem ser uma saída positiva para um mercado que enfrenta dificuldades de produção. Em julho, o Brasil recebe pela segunda vez, a Conferência Mundial de Empresas Juniores (Junior Enterprise World Conference – JEWC). A expectativa é que cerca de 3,5 mil empresários juniores de cerca de vinte países diferentes participem do evento em Florianópolis (SC). O Brasil já recebeu uma edição do evento em 2012, quando cerca de 2,2 mil universitários se reuniram em Parati (RJ).

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here