Centro de Operações e Inteligência coordena segurança para Jogos Olímpicos em Salvador

0

Concentrados, mais de 30 órgãos federais, estaduais e municipais das forças de segurança pública e outros setores, como saúde, turismo e mobilidade urbana, se reúnem no Centro de Operações e Inteligência 2 de Julho, no Centro Administrativo da Bahia (CAB), para coordenar as ações voltadas para os jogos olímpicos realizados em Salvador.

É nessa unidade que fica o Centro Integrado de Comando e Controle Regional (CICCR), onde trabalham as polícias Civil, Militar, Federal, Departamento de Polícia Técnica, Bombeiros Militares, Guarda Municipal e Superintendência de Trânsito municipal.

Todos estão envolvidos na organização, gerenciamento, segurança e atendimento, no mesmo lugar, integrando o esquema especial de operação montado para os dias de jogos na capital baiana. Segundo o gerente de Operações do CICCR, major PM Paulo Roberto Cunha, as instalações integradas permitem mobilizar todas as instituições gerando, sobretudo, retorno para a população.

“O importante para nós é também garantir a segurança e tranquilidade de quem está nas ruas, de quem vai torcer pelo seu time ou participar de um grande evento como as Olimpíadas. Percebemos que a população vê toda essa estrutura montada pela Secretaria da Segurança Pública. […] Já fomos bem avaliados, nesse sentido, na Copa das Confederações e na Copa do Mundo. Estamos com tranquilidade para repetir os bons resultados”, enfatizou o major da PM.

Inaugurado há cerca de um mês, depois do investimento de R$ 260 milhões com recursos estaduais, o Centro 2 de Julho já é a maior unidade de operações policiais da América do Sul, envolvendo a participação de 400 profissionais. No local são monitoradas as ruas do entorno da Arena Fonte Nova e comandadas outras operações importantes envolvendo os Jogos Olímpicos, a exemplo do reforço da vigilância dentro e fora do estádio, acompanhamento das delegações, policiamento próximo aos hotéis, onde ficam hospedados os atletas, e monitorados pontos importantes da cidade, como o aeroporto.

Polícia Civil

Integrada às demais forças de segurança, a Polícia Civil mantém o efetivo no Centro de Operações e Inteligência, mas criou uma estrutura fora da unidade, como uma delegacia perto dos torcedores, explica o delegado João Gaudêncio, coordenador do Centro de Inteligência e Tomada de Decisão Tática da Polícia Civil (Cidata).

“Especificamente nesse período de Jogos Olímpicos na Arena Fonte Nova, montamos duas delegacias especiais, uma dentro da Arena e outra móvel estacionada em frente ao estádio, tudo para atender a baianos e turistas que tenham necessidade de procurar as forças policiais. Além disso, estamos atuando no combate [à ação dos cambistas] e outras operações táticas”.

link-zap
Loading...

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here