Delação de Andrade Gutierrez revela: propina de Belo Monte foi de R$ 150 milhões

0

Em delação premiada à Procuradoria-Geral da República, os executivos Andrade Gutierrez afirmaram que as construtoras responsáveis pela obra da Usina Hidrelétrica de Belo Monte definiram pagar uma propina de R$ 150 milhões, 1% do valor que elas iriam obter pelos contratos firmados.

Ainda de acordo com a delação, os recursos seriam pagos ao longo da construção da obra e divididos entre dois partidos: PT e PMDB. Cada um “lucraria” aproximadamente R$ 75 milhões. Os executivos disseram ainda que o dinheiro foi pago na forma de doações legais para campanhas de 2010, 2012 e 2014.

Segundo Otávio Marques de Azevedo, ex-presidente da Andrade Gutierrez a empresa tinha um caixa único, formado por estes recursos que vinham diretamente em forma de propina de Belo Monte e também dinheiro legal, que foi usado para fazer as doações de campanha, inclusive em 2014, quando a construtora doou R$ 20 milhões para a campanha da presidente Dilma.

A Andrade Gutierrez estava diretamente ligada à formação dos consórcios que atuaram nas obras de Belo Monte. Além da empreiteira, a Camargo Corrêa, Odebrecht, OAS e Queiroz Galvão também participaram das obras. Ao todo, 10 empresas faziam parte da construção.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here