Foliões aprovam segurança na entrada dos circuitos do Carnaval

0

Todos os 48 pontos de entrada para os circuitos do Carnaval de Salvador estão sendo monitorados. Logo na entrada, baianos e turistas passam por uma revista com detector de metais. Os mais de 1,5 mil policiais envolvidos no trabalho com o equipamento também têm um aplicativo no celular, onde podem verificar, por meio da carteira de identidade, a ficha policial do folião.

Quem não é baiano, mas já conhece a festa, aprovou o sistema de segurança. Um exemplo é o supervisor de manutenção gaúcho Tarcísio Monteiro, 39 anos. Ele veio com Katiane Sampieri para a Bahia e disse ser o quarto ano que passa o Carnaval na capital do estado. “Eu sempre me senti seguro aqui e gosto do policiamento. Com a revista na entrada, ficou muito melhor e deixa a gente mais tranqüilo”.

Tanto baianos quanto turistas gostam de fazer selfies e exibem os celulares e outros objetos de valor. Quem está no circuito para trabalhar, principalmente nas barracas de vendedores ambulantes, lida com dinheiro vivo durante todos os dias de festa. Tudo isso chama a atenção de gente mal intencionada e pode gerar confusão durante a festa.

O vendedor ambulante Fabiano Matos teve a roupa e produtos que conduz para vender no circuito verificados pelos policiais militares. “Eu trabalho [há] uns dez anos no Carnaval, desde criança. E a segurança é boa para todo mundo […]. Quem está querendo trazer arma não traz mais”.

Para não ter problema e circular no circuito, é preciso ter cuidado com o que leva, principalmente, em mochilas e pochetes. O capitão Bruno Ramos, porta-voz da Polícia Militar da Bahia (PMBA), pede que as pessoas colaborem e não levem objetos que possam colocar em risco a vida de outras pessoas. “Garrafas, objetos cortantes, pontiagudos, nada disso deve ser trazido para que a gente não precise fazer a retenção nas barreiras”. Leia mais notícias da folia no Carnaval da Bahia.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here