Juiz da Vara da Infância afirma que falta de diálogo dificulta atendimento de crianças

0

Após o desembargador Salomão Resedá, do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), pedir providências em uma sessão plenária para que uma adolescente do interior, vítima de estupro, fosse transferida para Salvador, o juiz titular da 1ª Vara da Infância, Walter Ribeiro, resolveu quebrar o silêncio e se pronunciar. Ao Bahia Notícias, o juiz, que atua na área da Infância e Adolescência há 18 anos, afirmou que as declarações do desembargador “não são verdadeiras” e que não há abertura para o diálogo entre a Vara da Infância e a Coordenação da Infância do TJ. Walter Ribeiro diz que as declarações do desembargador, que, por 16 anos conduziu a 1ª Vara da Infância de Salvador, e que, só recebeu um “mero e-mail pedindo vaga” para as crianças, tanto de Catu, portadoras do vírus da aids, quanto da adolescente vítima de estupro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here