Saiba o que faz o Sol ‘se enfurecer’

0

Uma série de fortes clarões no Sol é um fenômeno normal e corrente, no entanto, as causas que os provocam podem ser encontradas por mais complicadas que sejam, indica o diretor do Centro Nacional de Investigação Atmosférica (NCAR, sigla em inglês), Scott MacIntosh.

Publicidade

Quando a atividade do Sol começa a se reduzir, lá aparecem as chamadas zonas magnéticas que pouco a pouco se movem em direção ao equador do astro. Entretanto, quando os campos magnéticos dessas zonas chocam, se forma um tipo de turbulência, cita o portal Gizmodo a explicação do especialista.

MacIntosh sublinha que os mesmos processos também ocorrem no equador da Terra, pois nos diferentes hemisférios do planeta a água se move em diversas direções, e os fluxos que se movem em rumos diferentes colidem no equador e provocam turbulências.

“Essas zonas são muito instáveis. Tais manchas, quando aparecem na superfície do Sol, provocam enormes clarões e emissões de massa coronal”, explica.

O clarão solar de 6 de setembro teve uma intensidade X9.3, a mais forte dos últimos 12 anos. A mancha solar onde foi detectado o clarão permaneceu ativa até o dia 8, emitindo mais quatro explosões: uma forte e três de intensidade média.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here