Virose ‘Vingadora’ aumenta procura nas emergências após o Carnaval

0

Vingadora, Xenhenhém, Lepo-Lepo, Requebra, Bororó, Chupa Toda, Toda Boa, Dalila…  A cada ano, mal termina a folia de Momo e as emergências da cidade ficam lotadas com as viroses típicas do pós- carnaval e elas recebem nomes engraçados, que não deixam esquecer onde foram contraídas.

Segundo o infectologista e professor da Escola Bahiana de Medicina Robson Reis, em 2016, a peculiaridade é que elas já vinham causando baixas antes mesmo do Carnaval chegar.

“Com sintomas respiratórios e intestinais, além de muitas dores no corpo, essas viroses foram mais disseminadas durante os dias de folia, especialmente porque as pessoas não perderam seus investimentos ou deixaram de ir pra rua ou camarote”, completa o médico.

Claudilson Bastos, infectologista do Hospital Couto Maia, destaca que, ao contrário das infecções bacterianas, as causadas por vírus costumam ser mais brandas, por isso mesmo as pessoas não valorizam os sintomas, mas continuam infectando outras pessoas.

“Muitos infectados nem manifestam os sintomas e só vão se dar conta da infecção depois do Carnaval, quando estão mais debilitados em virtude do esforço físico, das noites mal dormidas, a alimentação deficiente que deixa o organismo mais fragilizado”, pontua o médico.

Com uma postura parecida, Robson Reis destaca que o próprio processo de preparação para o Carnaval tende a deixar as pessoas mais susceptíveis às infecções virais, daí o crescimento espantoso dos casos nesse período. “Um mês antes da folia, muitas pessoas começam a fazer dietas malucas e a malhar desesperadamente, achando que se preparam para a maratona de horas na rua ou na folia”, esclarece o médico. Para Reis, essa falsa preparação, na verdade, só contribui para fragilizar o sistema imune.

O coordenador da Vigilância Epidemiológica do Município, Ênio Soares, diz que os profissionais dos postos de saúde estão de prontidão para atender os casos, mas que esses só deverão chegar em maior número depois de dez dia do fim da festa.

“Todos os anos, percebemos que a procura nos postos de saúde aumenta 25% nesse período, mas ainda não conseguimos determinar qual é a sintomatologia mais presente na virose em circulação”, completa o representante municipal da saúde.

Cuidados
Se a metralhadora de micro-organismo já tomou conta da saúde, a alternativa é apostar no repouso, boa hidratação e alimentação equilibrada.

“Não existe tratamento específico para combater essas viroses, então é importante dar ao organismo as condições necessárias para que possa combater a infecção”, pontua Reis. Nesse período, a dica é abusar das frutas, verduras, folhosos, carnes pobres em gorduras.

Água de coco, sucos de frutas e verduras, chás são uma opção saudável para curar o organismo dos excessos do período. Opções de bebidas que se adequam ao paladar não faltam. Elas vão desde chás, sucos de fruta até as bebidas funcionais. “Mas é preciso prestar atenção na escolha dessas bebidas”, diz a nutricionista Mariana Nacarato, da Equilibrium.

Que tal um suco revigorante feito com água de coco, folhas de hortelã miúdo e meio limão? “O hortelã vai ajudar o organismo a expulsar as toxinas, refrescar e depurar os excessos  que não fazem bem ao organismo”, ensina a nutricionista Graziela Brandão.

Para se recuperar, invista nos sucos vitaminados
A recomendação da nutricionista Mariana Nacarato é investir em  sucos enriquecidos com vitaminas e minerais, que podem fornecer nutrientes para o bom funcionamento do corpo, além de repor alguns outros perdidos com o suor, como vitaminas do complexo B (inclusive ácido fólico) e C.

Mas é preciso estar atento ao equilíbrio dos nutrientes que a bebida possa oferecer, como o teor de gordura, açúcar ou sódio.

“Super sucos que forneçam vitaminas e minerais, e tenham quantidades controladas de açúcar são as melhores opções para quem quer se hidratar e nutrir o corpo”, diz Mariana. Para repor as vitaminas perdidas, a sugestão da nutricionista Graziela Brandão é liquidificar uma maçã, meia cenoura, um talo de aipo e folhinhas de hortelã que garantem uma reposição de vitaminas perdidas na folia.

Se, depois de tanta farra e noites perdidas, a ideia é desintoxicar, a receita é misturar uma cenoura, uma maçã, 2 fatias de melão, gengibre, linhaça e um punhado de salsa. De acordo com Graziela, a salsa ajuda a melhorar o funcionamento dos rins e a desintoxicar mais rápido. O chá de hortelã também pode ser batido com meia cenoura e o suco de limão.

Por fim, Robson Reis lembra que as pessoas devem evitar usar qualquer anti-inflamatório nesse período. “A febre e os sintomas podem ser controlados com antitérmicos e analgésicos, além das medidas citadas”, finaliza o médico, destacando que os casos mais graves devem ter a orientação profissional.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here