Família acusa hospital de negligência após jovem morrer: ‘Estava tão bem que morreu’

0

Uma jovem de 26 anos morreu após dar entrada na tarde do último sábado (2) no Pronto Socorro de Vicente de Carvalho, em Guarujá, no litoral de São Paulo, com embolia pulmonar. A família aponta negligência no atendimento a menina que apresentou exames que comprovavam derrame pleural, conhecido popularmente como ‘água no pulmão’ e, mesmo assim, houve demora para efetuarem o pedido de transferência para um hospital.

Bárbara Regina Rosa da Silva apresentava problemas na respiração há, pelo menos, 15 dias. A menina reclamava para os familiares de falta de ar e, diversas vezes, foi atendida na Unidade de Pronto Atendimento do bairro Enseada, em Guarujá. “Eles prestavam atendimento, davam uma inalação e dispensavam. Ela não melhorava e quando voltava era a mesma coisa”, explica a prima de Bárbara, Regina Medina.

Segundo a família, a jovem estava tomando antibióticos há dias mas ainda sentia falta de ar e, às 16h de sábado, deu entrada no PS de Vicente de Carvalho. “Levamos alguns exames que ela já tinha feito, um raio-x que diagnosticou derrame pleural. Entregamos para as enfermeiras. O caso era grave e mesmo assim pediram para termos calma, ir para casa e relaxar que ela estava bem. Tão bem que morreu, né?”, desabafa a prima.

A família afirma que, apesar da gravidade do estado de saúde de Bárbara, nada de imediato foi feito para tratar o problema. “Poderiam ter colocado aparelhos para ajudar ela a respirar, solicitado uma transferência para o Santo Amaro, mas não fizeram nada. Fomos até o Santo Amaro e falaram que não tinha nenhuma solicitação de vaga”, conta Regina.

Na madrugada deste domingo (3), a jovem não resistiu e faleceu no PS. Segundo a família, o laudo do IML constatou embolia pulmonar. O enterro acontecerá durante a tarde deste domingo, no Cemitério de Vicente de Carvalho.

Em nota, a Secretaria de Saúde de Guarujá informou que ‘lamenta com pesar o ocorrido e reafirma que a paciente recebeu todo o atendimento e assistência necessários, da equipe da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Vicente de Carvalho’.

O órgão diz que Bárbara deu entrada na unidade por volta das com queixas respiratórias, sendo medicada e os exames pertinentes, solicitados. No entanto, apresentou piora e precisou ser encaminhada ao setor de emergência da UPA, onde permaneceu sob cuidados da equipe médica e enfermagem. Mas, às 5h50 deste domingo (3) sofreu uma parada cardiorrespiratória e, infelizmente, veio à óbito às 6h25, mesmo com todas as manobras ressuscitatórias efetuadas.

Além disso, analisando a ficha de atendimento da paciente, a Secretaria de Saúde diz que até o momento não constatou negligência, tampouco imperícia no serviço prestado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here